News

A Giant Cargo acaba de contratar o serviço de DraaS

A Giant Cargo acaba de contratar o serviço de DraaS para os seus serviços essenciais que rodam na nuvem. Através de parceria com a Webcenter, agora a Giant Cargo pode oferecer aos seus clientes maior segurança e disponibilidade na sua plataforma de negócio.

O serviço baseia-se em uma solução em nuvem. De modo a manter a disponibilidade do sistema crítico em operação, em caso de emergência (desastre) são utilizados dois métodos complementares, que juntos formam a solução DraaS (Disaster Recover as a Service).

O primeiro método (A Quente) trata-se de uma contingência onde todos os dados são replicados para uma um site secundário, em um datacenter separado fisicamente do site primário, de tal forma que na ocorrência de uma contingência é possível executar todo o ambiente de produção no site secundário imediatamente após detectado o problema do site primário.

No modo a quente, os dados são replicados em períodos de 15 minutos. Estas replicações são os pontos de restaurações possíveis que serão utilizados para recolocar em operação o sistema que sofreu uma emergência (Disaster). São armazenados 24 pontos de restauração do ambiente produtivo das últimas 24 horas, assim, será armazenado a última replicação realizada e outros 23 pontos de restauração separados por 1 hora de diferença.

Desta forma, é possível restabelecer todos os serviços do site primário no site secundário com a recuperação de até 15 minutos (RPO) de dados alterados e disponibilização no site secundário em até 15 minutos (RTO) após notificação do incidente.

O segundo método (A Frio) trata-se de uma contingência onde é realizado um backup diário dos dados do servidor em produção em um disco de armazenamento (storage) separado fisicamente do servidor. Na ocorrência de uma emergência (Disater) é possível colocar imediatamente em operação um novo servidor em produção a partir do disco de backup em até 15 minutos após identificação do incidente. Diferentemente dos backups tradicionais não é necessário aguardar a recuperação total dos dados no novo servidor antes de iniciar a produção, é possível rodar os servidores a partir da própria mídia onde são feitos os backups. Neste cenário são criados 10 pontos de recuperação, 1 para cada dia dos últimos 10 dias.

Desta foram, é possível restabelecer todos os serviços do servidor de produção com a recuperação de no máximo 24 horas (RPO) de dados alterados e disponibilização da produção em até 15 minutos (RTO) após a notificação do incidente. Este método é especialemente desenhado para casos de problemas com ransomware ou outros males que possam afetar a replicação dos dados para o site secundário no caso do método A Quente.

Este serviço já está em processo de implantação e deverá estar 100 % funcional até o final de setembro/2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *